terça-feira, 25 de dezembro de 2012

LIGAÇÃO ERRADA!!

Fernando Henrique Cardoso liga para sua netinha. Uma vozinha de criança atende: 
 - Alo?!
 - Minha netinha querida, estou em Paris, na galeria Lafayette, quero saber o que você quer de presente de Natal...
 A menina do outro lado grita para a avó:
 - Vó o vovô está em Paris numa tal de galeria Lafayette é quer saber o que eu quero de Natal...
Fernando Henrique percebe o engano, pois Dona Ruthe está ao seu lado na galeria, aguarda gentilmente para se desculpar, quando ouve a voz responder de lá:
 - Deixa eu falar com ele! Só pode ter tido algum distúrbio! Operário aposentado em Paris? Vai ver está em alguma lojinha de R$ 1,99... Me dê o telefone:
 - Alô Atílio? Atílio?
Do outro lado:
 - Tu, tu, tuuuu...
 - Desligou!  

quinta-feira, 9 de junho de 2011

CARTA ABERTA A POPULAÇÃO DO RIO DE JANEIRO

Por Robson Simas – Cel BM RRem

Povo Fluminense,

Os Bombeiros do Rio de Janeiro, profissionais trabalhadores, ordeiros e competentes, em respeito à população que sempre defenderam, por vezes com o sacrifício da própria vida, vem a público esclarecer o que tem ocorrido na Corporação e no Governo do Estado e o que levou companheiros e seus familiares adesafiarem os desmandos do Comandante Geral Cel Pedro Marco e do Governador Sérgio Cabral.

Como sabemos, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro é uma corporação voltada para a preservação de vidas e proteção de Bens da população do Estado do Rio de Janeiro.

Ao longo da sua existência, o CBMERJ sempre se pautou pela hierarquia e disciplina e também pelacredibilidade de seus serviços, estando ao lado da população Fluminense em todas as suas aflições e enfrentando com bravura as calamidades naturais que atingem o Estado. São inúmeras as vidas salvas e os bens preservados pelos profissionais do Corpo de Bombeiros, que a população chama carinhosamente de Heróis. Ao nos formarmos, juramos defender a população com o Sacrifício da nossa própria vida eassim temos feito ao longo desses 155 anos de existência.

A Corporação recolhe cadáveres, combate os mosquitos da dengue, atua nas UPAS, guarnece osambódromo no carnaval e atua no Rock in Rio (sem remuneração extra, embora o evento seja cobrado ao público), além de exercer as suas funções de salvamentos e combate à incêndio, recebendo um dos PIORES SALÁRIOS pagos pela categoria no Brasil (tabela ao Final).

O reequipamento da Corporação não é mérito do Governador, mas sim da população do Estado do Rio de Janeiro que paga a taxa de incêndio e que, ainda assim, não sabe que os recursos não são totalmente destinados à Corporação.

A Ira do Sr. Sérgio Cabral, com os Bombeiros, vem de 2009, quando foi vaiado pela Corporação durante o lançamento da Campanha “Cultura Antidengue” no ginásio do Maracanãzinho e desde então tem discriminado os Bombeiros militares, sejam nas gratificações (usando seu poder de discricionariedade) seja nas condições de trabalho (vocês viram alguma homenagem aos heróis que morreram na calamidade da Região Serrana?)

Agora, a população do Estado do Rio de Janeiro, assiste a sua Corporação de heróis ser aviltada e achincalhada pelas atitudes ditatoriais do Governador Sérgio Cabral que culminou com os manifestantesadentrando o Quartel Central da Corporação, no ultimo dia 03, para serem ouvidos pelo seu Comandante Geral, que omisso, serviu de “pau mandado” do governador Sérgio Cabral e ignorou os clamores de sua Tropa, nem comparecendo ao local.

O Governador Sérgio Cabral, adotando os melhores recursos da DITADURA, mandou o BOPE invadir com tiros e bombas o Quartel Central do Corpo de Bombeiros, ferindo militares honestos, mulheres e crianças indefesas. Atitude inadmissível em um Estado democrático de Direito!

Porque o Comandante Geral do CBMERJ, Cel Pedro Marco, não tomou as medidas necessárias para aretirada de seus militares do pátio do Quartel Central? Estavam todos desarmados e com seus familiares.Não era necessário o uso da força e sim do diálogo. Os Bombeiros são pacíficos por natureza.

O Governador nunca gostou da Corporação. Nomeou para Secretário o Ex médico do CBMERJ Sérgio Côrtes, um homem que deixou a Corporação por não concordar com os baixos salários e a carga de trabalho excessiva e agora nada faz para ajudar a Corporação, apenas integra os desmandos administrativos e superfaturados do Governo do Estado na área da saúde.

Assistimos perplexos ao Comandante Geral da PMERJ usurpar o Comando do CBMERJ e se dirigir, dentro do quartel dos Bombeiros, à tropa de profissionais honestos como se bandidos fossem.

Nossos militares foram presos e conduzidos aos quartéis da PMERJ como criminosos apenas por reivindicar dignidade profissional!

Se nossos companheiros erraram ao ADENTRAR a SUA SEGUNDA MORADA, o Governador foiCRIMINOSO e DITATORIAL ao ordenar a invasão do Quartel Central dos Bombeiros pelo BOPE com uso deFORÇA, TIROS E BOMBAS, como se ali fosse uma antro de criminosos e não de profissionais que arriscam a sua vida pela população, CAUSANDO FERIMENTO EM MULHERES E CRIANÇAS e obrigando a nossos companheiros ao confronto.

AJUDEM AQUELES QUE SEMPRE O SOCORRERAM!!!

NUNCA DEIXAMOS DE ATENDER E SOCORRER A POPULAÇÃO!

MOSTRE A SUA INDIGNAÇÃO POR ESSE ATO VIOLENTO E DITATORIAL DO GOVERNADOR SERGIO CABRAL!!!

MOSTRE O SEU APOIO AOS BOMBEIROS!

ENVIEM  ESSA  CARTA  PARA TODOS OS SEUS AMIGOS.

ACOMPANHEM E APOIEM O NOSSO MOVIMENTO PELO SITE http://www.sosguardavidas.com

SALÁRIOS BRUTOS NO BRASIL:
01º - Brasília - R$ 4.129.73
02º - Sergipe – R$ 3.012.00
03º - Goiás – R$ 2.722.00
04º - Mato Grosso do Sul – R$ 2.176.00
05º – São Paulo – R$ 2.170.00
06º – Paraná – R$ 2.128,00 1
07º - Amapá – R$ 2.070.00
08º – Minas Gerais - R$ 2.041.00
09º - Maranhão– R$ 2.037.39
10º – Bahia – inicial - R$ 1.927.00
11º - Alagoas - R$ 1.818.56
12º - Rio Grande do Norte – R$ 1.815.00
13º - Espírito Santo – R$ 1.801.14
14º - Mato Grosso – R$ 1.779.00
15º - Santa Catarina – R$ 1.600.00
16º - Tocantins – R$ 1.572.00
17º - Amazonas – R$ 1.546.00
18º - Ceará – R$ 1.529,00
19º - Roraima – R$ 1.526.91
20º - Piauí – R$ 1.372.00
21º - Pernambuco – R$ 1.331.00
22º - Acre – R$ 1.299.81
23º - Paraíba – R$ 1.297.88
24º - Rondônia – R$ 1.251.00
25º - Pará – R$ 1.215,00
26º - Rio Grande do Sul – R$ 1.172.00
27º - Rio de Janeiro - R$ 1.031,38 (SEM VALE TRANSPORTE)
O RIO DE JANEIRO é o Estado que mais recebe investimentos no Brasil, é o 2º que mais arrecada impostos. Pretende Sediar o Rock in Rio, as Olimpíadas militares, a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas em 2016. 
Há algo de errado e Podre no Governo do Exmo Sr Governador Sérgio Cabral Filho!!!

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Quanto vale uma vida??

Diante do caótico quadro que se desenha diante da catástrofe das chuvas, enchentes e inundações, principalmente no Estado do Rio de Janeiro, o Governo Brasileiro faz piada, tentando “amenizar” a situação liberando o FGTS para as vítimas...

Isso seria cômico se não fosse trágico, pois além de verem seus familiares mortos, suas propriedades destruídas, agora os sobreviventes verão irem, literalmente e mais uma vez, por água abaixo seus parcos recursos, amealhados durante uma vida inteira.

É de uma incoerência enorme essa “desajuda” que o governo oferece! Quanto vale uma vida? Hoje, se o governo desse R$ 50.000,00 para cada morador das áreas atingidas, não estaria fazendo mais do que sua obrigação.

O Brasil emprestou dinheiro ao FMI, salvou bancos arrasados, acudiu a países destruídos por abalos sísmicos, e agora, quando se trata do próprio povo brasileiro, filhos dessa Pátria amada e tão gentil, dá com uma mão o que está tirando com a outra.

Há que se votar em regime de urgência – como aconteceu quando da votação do reajuste dos vencimentos dos parlamentares - medidas outras que não penalizem ainda mais os flagelados das enchentes. A solução urge, porque eles, a classe dos flagelados, que inclue trabalhadores, homens e mulheres, inclusive velhos e crianças, não tem mais nada de material... Hoje, eles tem apenas fome, sede e frio.

Eles precisam realmente de uma saída, não de um paliativo, um placebo qualquer, adquirido às custas dos seus próprios recursos.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

CONVERSA DE DOIS BEBÊS!!!!

(Canção de ninar é TUDO que não devemos cantar para as criancinhas...)
-
E aí, véio?
- Beleza, cara?
- Ah, mais ou menos. Ando meio chateado com algumas coisas.
- Quer conversar sobre isso?
- É a minha mãe. Sei lá, ela anda falando umas coisas estranhas, me botando um terror, sabe?
- Como assim?
- Por exemplo: há alguns dias, antes de dormir, ela veio com um papo doido aí. Mandou eu dormir logo senão uma tal de Cuca ia vir me pegar. Mas eu nem sei quem é essa Cuca, pô. O que eu fiz pra essa mina querer me pegar? Você me conhece desde que eu nasci, já me viu mexer com alguém?
- Nunca.
- Pois é. Mas o pior veio depois. O papo doido continuou. Minha mãe disse que quando a tal da Cuca viesse, eu ia estar sozinho, porque meu pai tinha ido pra roça e minha mãe passear. Mas tipo, o que meu pai foi fazer na roça? E mais: como minha mãe foi passear se eu tava vendo ela ali na minha frente? Será que eu sou adotado, cara?
- Sabe a sua vizinha ali da casa amarela? Minha mãe diz que ela tem uma hortinha no fundo do quintal. Planta vários legumes. Será que sua mãe não quis dizer que seu pai deu um pulo por lá?
- Hmmmm. pode ser. Mas o que será que ele foi fazer lá? VIXE! Será que meu pai tem um caso com a vizinha?
- Como assim, véio?
- Pô, ela deixou bem claro que a minha mãe tinha ido passear. Então ela não é minha mãe. Se meu pai foi na casa da vizinha, vai ver eles dois tão de caso. Ele passou lá, pegou ela e os dois foram passear. É isso, cara. Eu sou filho da vizinha. Só pode!
- Calma, maninho. Você tá nervoso e não pode tirar conclusões precipitadas.
- Sei lá. Por um lado pode até ser melhor assim, viu? Fiquei sabendo de umas coisas estranhas sobre a minha mãe.
- Tipo o quê?
- Ela me contou um dia desses que pegou um pau e atirou em um gato... Assim , do nada. Que maldade, meu! Vê se isso é coisa que se faça com o bichano!
- Caramba! Mas por que ela fez isso?
- Pra matar o gato. Pura maldade mesmo. Mas parece que o gato não morreu.
- Ainda bem. Pô, sua mãe é perturbada, cara.
- E sabe a Francisca ali da esquina?
- A Dona Chica? Sei sim.
- Parece que ela tava junto na hora e não fez nada. Só ficou lá, paradona, admirada vendo o gato berrar de dor.
- Puxa... Esses adultos às vezes fazem cada coisa que não dá pra entender.
- Pois é. Vai ver é até melhor ela não ser minha mãe, né? Ela me contou isso de boa, cantando, sabe? Como se estivesse feliz por ter feito essa selvageria. Um absurdo. E eu percebo também que ela não gosta muito de mim. Esses dias ela ficou tentando me assustar, fazendo um monte de careta. Eu não achei legal, né. Aí ela começou a falar que ia chamar um boi com cara preta pra me levar embora.
- Nossa, véio. Com certeza ela não é sua mãe. Nunca que uma mãe ia fazer isso com o filho.
- Mas é ruim saber que o casamento deles é essa zona, né? Que meu pai sai com a vizinha e tal. Apesar que eu acho que ele também leva uns chifres, sabe? Um dia ela me contou que lá no bosque do final da rua mora um cara, que eu imagino que deva ser muito bonitão, porque ela chama ele de 'Anjo'. E ela disse que o tal do Anjo roubou o coração dela. Ela até falou um dia que se fosse a dona da rua, mandava colocar ladrilho em tudo, só pra ele pode passar desfilando e tal.
- Nossa, que casamento bagunçado esse. Era melhor separar logo.
- É. só sei que tô cansado desses papos doidos dela, sabe? Às vezes ela fala algumas coisas sem sentido nenhum. Ontem mesmo veio me falar que a vizinha cria perereca em gaiola, cara. Vê se pode? Só tem louco nessa rua.
- Ixi, cara. Mas a vizinha não é sua mãe?
- Puxa, é mesmo! Tô ferrado de qualquer jeito.
!!!!


 


 

domingo, 11 de outubro de 2009

A História do Sapinho...

Quando meus filhos eram pequenos, eu ajudava minha esposa a adormecê-los:

- Conta uma historinha, pai??

- Qual vocês querem? Ali Babá?? Branca de Neve??

- Não pai... .conta a do Sapinho...

E eu contava...

"Um dia muito lindo, um sapinho pediu a mamãe:

- Mãe, posso dar uma voltinha no bosque??

- Sim, vá, respondeu a mamãe... Mas tenha cuidado na selva! Seus habitantes são perigosos...

- Deixa comigo, mãe... Tchau!! E se despedia o sapinho, confiante.

E o jovem sapinho ia passear e se envolvia em aventuras perigosíssimas, discutindo com os supostos reis da selva... Um dia, todos os que haviam sido enrolados pelo sapinho, se uniram para pegá-lo. E conseguiram! Fizeram um tribunal e sentenciaram o sapinho a ser jogado no fogo, para ser queimado. Ele, espertamente, quando ouviu a sentença, começou a zombar:

- Isso mesmo, me joguem no fogo.... ahahahah, ria-se o sapinho... Joguem-me no fogo, que não tem nada mais gostoso do que um bom mergulho numa fogueira... Como eu gosto, desdenhava o jovem sapo...

Os animais, sem entenderem nada, claro que não quiseram fazer a vontade do sapo. Como é que iriam agradá-lo? Então pensaram em jogá-lo na água, na tentativa de contrariá-lo... Quando o sapinho soube da nova idéia, começou a demonstrar um pavor surreal:

- Na água, não, na água não... Eu não sei nadar, confessou o jovem batráquio.... Toda a floresta então exultou! Encontramos uma maneira de sacaneá-lo!! E todos a uma, diante dos pedidos inúteis do sapo, arremessaram-no no meio do rio. O sapinho afunda... Bolhas de água vêm à tona... Todos acham que agora, estão livres do incomodo sapinho... E quando, comemorando se preparam para ir embora da margem do rio caudaloso, lá do meio, ouvem um grito de alegria. Era o sapinho, que ainda tinha o desplante de gritar:

- E isso mesmo, seus otários!!! Safei-me mais uma vez... Onde já se viu um sapo não saber nadar??? ahahahhaha – nadava e ria-se o verde batráquio....

O leão, então começa a reclamar e discutir com o macaco, a onça dizendo que não concordara com a sentença do rio, espanca a hiena, que ria, não se sabe de nervoso, ou qual motivo fosse... E em meio a essa confusão, o sapinho atravessa o rio, sai na outra margem, dá a volta na floresta e retorna para a sua toca."

E a história terminava por aí, pois meus filhos, então, já haviam adormecido.

Se, em todas as noites eles ainda tivessem permanecido acordados, a história continuaria assim:

"E o sapinho cresceu, ficou moço. Seu temperamento o impedia de viver na floresta e ele não agüentava mais aquela morosidade da mata:

- Mãe, argumenta o já crescido anfíbio, vou para "Sun Paulo" (ele falava assim, pois tinha visto um personagem de novela se referindo assim à Capital Paulista) – lá está o meu futuro, depois venho buscar a senhora...

Foi para a estrada, e logo em meio à poeira, passa um pau de arara e o jovem sapo se agarra nele, como que se agarra à esperança de um novo futuro. Depois de dias de fome e sede, o caminhão chega ao ABC Paulista, que era naquele tempo um grande conglomerado metalúrgico. O sapinho vai procurar emprego, logo se destacando como líder e se coloca à frente das reivindicações dos companheiros de lida. Chamava a todos os colegas de trabalho de "companheiros". E ali, naquela selva de pedra, o jovem sapo descobriu que havia também luta e perseguição.

Havia reis, como na floresta, de onde ele viera, que disputavam o poder. E esses reis se sentiram incomodados com o anfíbio. Perseguiram-no, juntamente com seus companheiros de trabalho. O sapinho e outros, quando foram pegos, foram torturados, enviados para o exílio, muitos mortos, mas o batráquio verde conseguiu sobreviver...

Acabara-se a perseguição, mas recomeçara a disputa, porque todos queriam reinar na selva de pedra. E o sapo agora já era adulto. Pêlos cresceram na sua face, indicando que ele já vencera a adolescência e agora, amadurecera. Em um acidente de trabalho, perde um dedinho de uma de suas patas anteriores (acho que a direita, ou a esquerda, não sei ao certo.... Sei que era um dedo mínimo)... Seus colegas de disputas agora o chamavam de Sapo Barbudo. Estudou, não sei onde, mas depois de muito insistir, (foi derrotado por três vezes ) foi eleito presidente daquele país de matas verdejantes e lagos límpidos, lagos esses muito iguais àquele que um dia, uma junta governativa da floresta o arremessara, pensando que ele não sabia nadar... Esses hoje têm uma certeza: DEVIAMOS TE-LO QUEIMADO VIVO!!"

Os meus filhotes, aos quais eu contava essa história, hoje, espero, contam-na a meus netos. Que contarão aos meus bisnetos e por aí em diante... E o sapinho, que naquela época, dos meus filhos e da historia para dormir, não era barbudo, no próximo dia 27 desse mês, fará 63 anos.

A minha alegria é que ainda teremos muitas histórias do sapinho. E eu sempre terei muitas histórias para contar...

Aguarde as próximas postagens aqui no Blog. Um dos temas deve ser: "Sapinho, agora internacional, empresta dinheiro ao Rei da Selva".

Até lá

São Vicente, Outubro de 2009

Lafa...


 

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Projeto de Lei...

O Senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), elaborou um Projeto de Lei que acaba com a prisão especial, privilégio de muitas classes influentes, inclusive os políticos...

Quero fazer um alerta aos nossos governantes:

Antes de aprovarem a Lei, construam novos presídios...

Os atuais já estão abarrotados e com a aprovação desse projeto de lei, a hiper, super, mega, lotação será inevitável!

Lafa...

O Natal vem chegando...

Daqui a pouco, chegará o Natal... e no dia 24 do mês de Dezembro, por volta da meia noite, muitas pessoas vão estar ao redor de suas mesas fartas... Nozes, avelãs, figos, pernil, bacalhau, peru, rabanada, pudim de leite condensado, salada de frutas, vinhos, whisky e refrigerantes de qualidade.... Seus filhos, já adultos, estarão com seus meninos e meninas, com os olhos cintilantes de felicidade, aguardando ansiosos a abertura dos presentes pendurados na enorme árvore de Natal... O "dono da casa", orgulhoso e feliz, anda prá lá e prá cá, com o copo de bebida à mão, aprovando os últimos detalhes, vendo sua inocente esposa à pendurar os últimos enfeites na arvore e ajeitar os presente sob a mesma.

Lá na periferia, haverá gente também comemorando o Natal... O humilde trabalhador vem da Loja de R$ 1,99, trazendo três ou quatro pacotes e os coloca sobre a humilde arvorezinha. À mesa, uma toalha de plástico hospeda a também humilde ceia: Frango assado, farofa de lingüiça e uma garrafa pet de "refrigereco" 2 litros. Debaixo da pia tem uma garrafa de plástico de cachaça, aguardando para completar a cena natalina da família.

Na hora do agradecimento a Deus, por toda fartura e satisfação que muitas vezes existe na nossa casa, não podemos nos esquecer da situação de muitos que viverão a segunda cena dessa crônica.

Que tenhamos um Natal diferenciado...

Ainda que eu não possa acabar com toda injustiça humana, tem muito que eu posso fazer para que muitos tenham um Natal melhor!

Então, arregacemos as mangas e mãos à obra! Ainda há tempo para que possamos ajudar a transformar o Natal de muitos. Talvez seja necessária uma palavra de animo, talvez seja necessário compartilharmos, repartirmos aquilo que temos... Ainda dá tempo para que possamos ajudar a muitos a terem um FELIZ NATAL!!

Lafa...